CUIDADOS COM A SAÚDE | 06.SETEMBRO.2019

Setembro Vermelho: como está a saúde do seu coração?

Antes do Outubro Rosa e do Novembro Azul, existe o Setembro Vermelho, mês dedicado à saúde do coração. A campanha tem como objetivo conscientizar sobre as doenças cardíacas para reduzir o número de mortes relacionadas ao órgão, que chega a 43% no mundo.

Doenças silenciosas

Uma morte a cada 40 segundos é a média de vítimas de doenças cardíacas no Brasil, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Por demorarem a apresentar sintomas, normalmente essas doenças só se manifestam quando o sistema está à beira de um colapso.

A boa notícia é que o coração só precisa de uma ajuda para se manter no ritmo certo! Sedentarismo, álcool, cigarro, alimentação inadequada, pressão alta, colesterol desequilibrado e diabetes comprometem sua vida útil, mas são fatores de risco que podem ser revertidos com mudanças no estilo de vida.

  • Uma alimentação equilibrada é essencial para preservar a saúde do coração. Segundo a cartilha de Prevenção Cardiovascular, ingerir frutas, verduras e legumes diariamente diminui em 30% as chances de infarto.
  • Evite produtos industrializados com alto teor de gordura trans e diminua a quantidade de sal utilizado nas refeições – a OMS recomenda o consumo de até 5 g por dia.
  • Leia com atenção a tabela de informações nutricionais, principalmente o valor calórico e a quantidade de sódio e açúcar.
  • Corra das doenças! Estudos indicam que pessoas que praticam esportes são menos propensas a desenvolver problemas cardíacos.

Saúde física e emocional do coração

O estresse pode influenciar significativamente a saúde do coração. Um exemplo é a síndrome do coração partido (cardiomiopatia de Takotsubo), uma disfunção desencadeada por situações que despertam forte emoção, como a morte de uma pessoa querida, o fim de um relacionamento ou saber que ganhou na loteria.

Para se prevenir, não existe uma fórmula mágica. Exercícios físicos são a forma mais simples, rápida e barata de combater o estresse, porque estimulam a produção de neurotransmissores do bem-estar, bom humor e melhora do sono. Técnicas de relaxamento e meditação também podem trazer benefícios.