OUTUBRO ROSA | OUTUBRO.2020

Hormônios e câncer de mama: qual a relação?

As mulheres são expostas aos hormônios progesterona e estrogênio durante um longo período da vida. O estrogênio, embora também esteja presente nos homens, é predominantemente feminino. Como a maior parte dos cânceres de mama afetam as mulheres, levantou-se a hipótese de que ele seria o responsável pela doença.

Mas ainda não está claro se, de fato, é o estrogênio ou outro hormônio que causa câncer de mama. O que se sabe é que diversos fatores estão relacionados a doença, como: idade, genética, fatores comportamentais e sua história reprodutiva, ou seja, sua exposição ao estrogênio ao longo da vida.

Fatores de risco para o câncer de mama

Basicamente, estudos mostraram que mulheres que começam seu ciclo menstrual antes dos 12 anos, têm a primeira gravidez após os 30 anos ou passam pela menopausa depois dos 55 anos têm chances maiores de desenvolver câncer de mama.

Há também outros riscos: o uso de contraceptivos orais e terapia de reposição hormonal. Pesquisas indicaram que as pílulas anticoncepcionais aumentam levemente a possibilidade de a doença dar as caras. Mas esse fator está ligado principalmente ao uso prolongado do medicamento, que se for consumido com acompanhamento do ginecologista é seguro.

A terapia hormonal é um tratamento de reposição realizado para amenizar os efeitos da pós-menopausa, quando o corpo feminino produz quantidades baixas de progesterona e estrogênio, provocando ondas de calor, perda óssea, secura vaginal e alterações de humor. No entanto, ao acrescentar estrogênio de volta ao corpo, o risco para câncer de mama pode aumentar, especialmente em mulheres mais velhas.

Por essa razão, muitos oncologistas são contrários a reposição hormonal. Os especialistas reforçam que esse método deve ser feito estritamente sob recomendação médica e não pode ser indicado para todas as mulheres.

Se você toma alguma forma de contraceptivo oral ou faz reposição hormonal pós-menopausa, converse com seu médico sobre os riscos e tire todas as dúvidas. Prevenir é um ato de amor com você, com seu corpo e com todos que te amam. Por isso, cuide-se, realize o autoexame e não deixe de fazer acompanhamento médico!