CAMPANHA DE SAÚDE | OUTUBRO.2021

Outubro Rosa: mês, cor e surgimento

É normal pensarmos que alguns de nossos costumes começaram há muito tempo. Só que não. O câncer de mama é destaque na mídia e em nosso calendário não faz 30 anos.

 

História do Outubro Rosa

Tudo começou com o laço cor-de-rosa, que foi distribuído para sobreviventes do câncer de mama pela fundação Susan G. Komen for the Cure na 1ª Corrida pela Cura, realizada nos EUA, em 1990. Desde então tornou-se o símbolo da prova, que acontece todo ano.

Mas o conceito do Outubro Rosa só surgiu em 1997, quando duas pequenas cidades norte-americanas, Yuba e Lodi, chamaram de Pink October as ações organizadas de prevenção ao câncer de mama realizadas por voluntárias no penúltimo mês do ano.

O Brasil despertou para essa questão apenas no novo século. Em 2002, o Obelisco do Ibirapuera, em São Paulo, foi iluminado com o rosa por iniciativa de mulheres simpatizantes da causa e uma multinacional do ramo de cosméticos. Ainda assim, foi uma ação rápida e pontual. Só em 2008, seguindo o exemplo de outras cidades pelo planeta, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, e monumentos de outras capitais passaram a ser iluminados regularmente e a divulgação do Outubro Rosa começou a ser mais eficiente.

Segundo o Ministério da Saúde, a campanha tem contribuído para que mais pessoas façam exames preventivos no Brasil e tenham o diagnóstico no início da doença, aumentando as chances de cura e possibilidades de tratamentos menos invasivos.

 

Como ajudar a causa do Outubro Rosa?

INFORME: Contribua para que mais pessoas tenham consciência sobre a importância do autoexame e o impacto do diagnóstico precoce no tratamento, além de quais são os sintomas e fatores de risco. Busque informações em fontes confiáveis, como o site do INCA (Instituto Nacional de Câncer).

MULTIPLIQUE A MENSAGEM: A maneira mais fácil de ajudar é divulgar a causa. Nossa sugestão é que você vá além da roupa cor-de-rosa e participe ativamente, por meio da divulgação de ONGs e instituições de combate à doença, compartilhando histórias de sobreviventes ou, ainda, através de ações como corridas e palestras.

APOIE COM DOAÇÕES: Além das contribuições financeiras, ONGs também precisam da doação de alimentos, produtos de limpeza e higiene pessoal, lenços e cabelo, para a confecção de perucas. Outra maneira de ajudar é comprar produtos que você precise de empresas que direcionam a verba para instituições de combate ao câncer de mama.

SEJA VOLUNTÁRIO: Muitos pacientes precisam de apoio e assistência durante o tratamento, afinal, estão em um momento de grande vulnerabilidade. E com o crescimento do voluntariado online, nem é preciso sair de casa para ajudar. Sugerimos que você busque por iniciativas locais, com menos visibilidade e que provavelmente estão mais necessitadas.

 

Encontre uma ONG

A FEMAMA (Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama) é uma associação sem fins econômicos, que busca ampliar o acesso ao diagnóstico e tratamento do câncer de mama no país. Em seu site é possível encontrar ONGs associadas em todo o Brasil e buscar opções de auxílio. Acesse: www.femama.org.br